sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Mestre Garrincha - 2ª geração de Bimba



MESTRE GARRINCHA

CREMILTON FERREIRA PEREIRA, 42, mestre GARRINCHA, primeiro aluno formado pelo mestre Nenel, em 1990, pertencente à 2ª geração da linhagem de Mestre Bimba.

Iniciou seus treinamentos aos 13 anos, na academia de mestre Moisés, no Vale das Pedrinhas, SSA-BA, na qualidade de aluno de mestre Nenel, que lá dava aula no horário das seis da manhã.

Em 1995 teve a sua primeira experiência como professor, substituindo o mestre Nenel, já na academia de pugilismo GAG, bairro de Amaralina, onde o mestre Nenel passara a dar aulas, após se mudar da academia de mestre Moisés. A vocação como professor o levou a dar aulas durante 10 anos na academia Drakon, no bairro de Itapoan. Também ensinou na academia Merlin, bairro da Pituba e Colégio Irmã Dulce no município de Simões Filho. Nessa sua trajetória formou vários discípulos, contribuindo para a 3ª geração da linhagem de Mestre Bimba.

Bactéria foi o seu primeiro discípulo, hoje atuando na Croácia.
Ainda seus discípulos, atuando em outros países:
- Sardão, Croácia;
- Anum, Líbano;
- Baiana, França;
- Pardal, Bélgica; e 
- Ferrão, México.

Possui as seguintes graduações pela Filhos de Bimba Escola de Capoeira:
1990 - Lenço Azul - Formatura
2000 - Lenço Vermelho - 1ª Especialização
2005 - Lenço Amarelo - 2ª Especialização
2010 - Mestre

O mestre Garrincha desenvolve atualmente no Núcleo de Patamares da Filhos de Bimba Escola de Capoeira, com o apoio da Fundação Mestre Bimba - FMB, um projeto de grande alcance estratégico, com o objetivo de penetrar em um segmento social com potenciais formadores de opinião mostrando para essas crianças e pré-adolescentes o verdadeiro sentido da capoeira, a fim de que no futuro tenhamos uma voz espontânea nos fóruns de decisões. O grupo é pequeno, paga mensalidade e contribuem em todos os eventos que participam. Nesse segmento não se busca a formação de professores, mas fortalecer princípios nessas potenciais lideranças.
"Reeditamos aqui o que Mestre Bimba fez", diz Garrincha, ao atrair universitários para a sua academia, e foram eles que divulgaram a capoeira regional e o nome de Mestre Bimba no mundo.

Mestre Garrincha tem uma posição muito clara sobre as diferentes abordagens de capoeira que se pratica no Brasil e no mundo: "só enxergo a Regional e a Angola", diz com a convicção dos grandes mestres, "apesar de pouco conhecer da capoeira Angola", conclui. Do seu ponto de vista, mestre Nenel refinou a capoeira regional herdada do seu pai. Lembra que na sua iniciação a capoeira regional praticada era muito combativa e brutal, tendo ele mesmo já levado ao chão "desmaiado" o seu oponente durante treinamento. Em várias oportunidades isso aconteceu: "braço quebrado, queixo deslocado, era porrada mesmo!. O próprio mestre Nenel era temido pelas suas rasteiras".

O seu relato lembrou-me os tempos do Centro de Cultura Física Regional, onde Mestre Bimba reservava os dez minutos finais da aula para o que ele denominou "esquenta banho". Nesses momentos, as diferenças realmente eram tiradas, contudo, tudo terminava sem ressentimentos.

Mestre Garrincha considera importante a presença dos antigos alunos de Mestre Bimba nos treinos da geração atual. "Vivo Bimba através dos discípulos" diz alegremente.


ZUMBIMBA 2007




Mestre Garrincha tem uma habilidade especial para dar aulas, mormente para crianças. Paciente, dotado de uma técnica apurada, estimula os seus alunos a acreditar nas suas possibilidades e respeitar as limitações, despertando o senso de confiança e lapidando a autoestima.
Pessoa íntegra, respeitado pelos seus discípulos, admirado pelos seus pares e querido pelos lugares por onde passa. É um seu humano que está sempre pronto pra retribuir uma gratidão ou colaborar com seu semelhante em momentos de dificuldades.
Ensinou durante 10 anos no CEIFAR, ONG BRASIL-BÉLGICA, quando desenvolveu um trabalho com crianças e adolescentes, criando um grupo cultural de uma originalidade marcante, encantando os dirigentes de tal forma
que o propuseram um tour pela Europa para mostrar o magnífico trabalho desenvolvido com as crianças da instituição por eles apoiada.
Recentemente essa entidade teve os seus arquivos danificados e o mestre Garrincha foi solicitado a apresentar proposta comercial com a finalidade de recompor a história da capoeira naquela instituição, uma vez que ele foi o mentor, autor e protagonista da história. Num gesto de desprendimento, doou toda a documentação que possuía e recusou a contrapartida financeira: "essa instituição me ajudou muito, inclusive nas dificuldades com a família, como o funeral de meu Pai, então seria o mínimo que eu poderia ter feito", diz com a certeza do dever cumprido.
Garrincha considera que os mestres exercem a profissão por amor, mesmo sabendo que não há nenhuma lei ou instituição que possa dar amparo quando não mais puderem trabalhar. Referindo-se à capoeira, disse: "Enquanto ela estiver desumana, dispersa e os mestres falando línguas diferentes, não haverá segurança. A capoeira precisa ser mais organizada, sem, contudo, se afastar da sua herança histórica".
No mês de novembro próximo, 25, no Forte da Capoeira, em espaço da FMB, mestre Garrincha estará formando mais quatro discípulos: Bam-Bam, Bilú, Gavião e Montanha.
Mestre Garrincha é um formador de líderes. Enquanto pessoas da sua estirpe estiverem trabalhando, a herança histórica estará assegurada. Axé.



                                                                                                               
1ª, 2ª e 3ª GERAÇÃO BIMBA

OBS: citados apenas os discípulos que estão exercendo a função de multiplicadores.







4 comentários:

Bambam Capoeira disse...

Esse é meu mestre, axé . grande mestre e amigo Garrincha.

Hellio Campos - Mestre Xaréu disse...

Mestre Garrincha, gostei imensamente de conhecer um pouco da sua rica história com a Capoeira Regional. Parabéns, pelo belo trabalho em prol da nossa Capoeira Regional e você como mestre pertencente a segunda geração de Bimba nos enche de orgulho. Desejo muito sucesso.

Mestre Xaréu

LYKKA Lima disse...

Meu mestre. Deu aulas para as crianças de um centro social, dentre elas eu,capoeira e um estilo de vida. E uma forma de educar, disciplinar. Li nomes conhecidos e fiquei arrepiada em saber o qual longe eles foram. Parabéns. Assinado. Abelhinha. Deus te abençoe por essa obra maravilhosa.

LYKKA Lima disse...

Meu mestre. Deu aulas para as crianças de um centro social, dentre elas eu,capoeira e um estilo de vida. E uma forma de educar, disciplinar. Li nomes conhecidos e fiquei arrepiada em saber o qual longe eles foram. Parabéns. Assinado. Abelhinha. Deus te abençoe por essa obra maravilhosa.